quarta-feira, 22 de Junho de 2011

e foi assim....


era só uma consulta de rotina... das 39 semanas que eu continuo a dizer eram mais... já tinha estado no hospital na terça, tinha contracções sem dores de noite... muitas noites...
e na sexta, telefonei ao médico e disse, hmmm... talvez não valha a pena ir à consulta, estive aí na terça... ao que ele respondeu, não vens cá hoje...
e fui...
ctg calminho...
ele diz, hmmm... nem pensar... só lá para a semana.
ainda assim tenho de te examinar... ao que disse: EPAH!!!! 4 dedos de dilatação??? nem pensar saires daqui!!!!

E assim foi...
Veio a Enfª/parteira... e dei entrada!

Tomei um duche... vesti-me...
tens medo? perguntou.
Não. não tenho medo!

Já deitada e ligada ao soro e ctg (sim, há coisas que não podemos evitar no hospital...)
tricotei... enquanto esperava pela dor...

Veio a parteira... e disse:
não posso evitar a oxitocina. Ordens do médico. no mínimo, disse... vamos ver assim no mínimo.
e fiquei... dores nada... contracções sim. Veio o médico perguntar: Ouve, tens a certeza que não estás a sentir as contracções que eu vejo registadas no monitor?
Rimos... sinto. não doem.
és uma insensível, disse a rir...

Depois a parteira... disse-me: Saía ás 00:30. que eu tinha duas hipoteses:
a) não fazíamos nada... o meu parto adivinhava-se lento, mas tudo correria bem, só não podia garantir o que o novo turno faria... não podia controlar...
b) epidural e rompimento de bolsa... aceleraria o processo e nasceria no turno dela, onde ela poderia controlar algumas coisas...

eu entendi.

Na cama eu não tinha espaço para minimizar a dor... massagens, sacos quentes, banhos... são para um outro espaço que eu não pude escolher....

E sim... foi assim:
rompeu-se o oceano... e veio a epidural... e as ondas chegaram, mas com contracções curtas e rápidas... que em quase nenhum tempo eram dilatação completa...
na sala de partos, fez-se força e empurrou-se a Alice para a praia...
sem episiotomia...
pousada em mim, foi dado ao pai a oportunidade de cortar o cordão que nos ligava...
com calma... sem pressas... abriram-me a roupa e ela veio para a minha pele... ABRIU OS OLHOS.... chorei... MAMOU... ali mesmo...
nasceu a placenta, mostraram-me...
choramos, eu e a parteira...

não ía descrever isto aqui... a nossa história... mas o parto é quase sempre contado de forma tão aterradora...

o parto da Alice foi um parto humanizado, como aqueles pelos quais luto...
uma doula grávida, é como qualquer mulher grávida.... precisa de alguém para dar a mão,
um rosto conhecido, um sorriso...
precisa de ter opções, que lhe perguntem, queres isto ou aquilo? e poder escolher, que não lhe seja imposto.
E precisa de paz.

uma doula não é uma mulher que acompanha partos em casa...
é uma mulher que acompanha mães...
uma doula grávida não é uma mulher que pare em casa,
é uma mulher que pare onde pode, onde acha certo para si...

uma parteira no verdadeiro sentido da palavra é a que eu tive...
não lhe pedi nada, não lhe falei sobre as coisas em que acreditava...
mas ela soube...

e não vou dizer obrigada: fez o seu trabalho...
mas vou dizer:

thanks for this piece of cake! i owe you one!
e ela vai entender!

22 comentários:

Ana V. disse...

Fico Feliz por teres tido uma assistência fantástica.

miosotiis disse...

Fico muito feliz que tenha sido assim.
Na verdade, tinham tantos corações sintonizados com os vossos, querida Zélia :)

Abraço apertado!

Julie Alvarez disse...

Oh, yes. You are right.
Lucky you had this chance then, to have her with you...

Cal disse...

Que linda historia! Parabens! Ainda bem que tiveram um parto tranquilo e contente!

Paula disse...

Que bonito... :')
Bj grande,
Paula sofia

MJL disse...

:) que bela descrição
os meus partos não foram aterradores (apesar da dor) foram no hospital e senti-me sempre acompanhada - é bom saber que há partos assim, que há bebés que nascem bem
tudo de bom

mimiko disse...

Tão pacífico! Assim fossem todos... Acho que essa parteira foi a tua doula! A A é linda, um beijinho às duas.
Sara Carvalho

MJ disse...

Zélia
é raro comentar, aliás acho que nunca o fiz mas hoje não pude evitar :)
ao ler a tua experiência, lembrei-me também das minhas (2) e como também fui tão bem tratada e respeitada num hospital público. Dois partos naturais:Um com epidural e tudo calminho, o outro sem nada tipo furacão :) resultado? 2 filhos lindos que amo de paixão!
desejo-te o que um mãe deseja para os seus filhos: o melhor do mundo!

um abraço!
MJ

Michelle Marmelo Pedro disse...

:oD

O teu parto foi tão parecido com o meu 2º... muito mesmo. Senti a diferença entre o parto da L* e a do J*: o da L* chocou-me muito, foi na fase em que a MAC parecia não ter sentimentos e era muito fria com as parturientes, os bebés e os Pais. O meu marido mal esteve comigo no parto, deixaram-me abandonada, completamente sozinha numa sala velha e decadente durante 2 horas de trabalho de parto que foi muito doloroso, a L* quando nasceu mal esteve ao meu colo, nem consegui dar-lhe de mama, arrancaram-ma dos braços e só a vi 2 horas depois (e durante esse tempo todo só a ouvi a berrar desconsoladamente, só se calando quando ma colocaram entre as minhas pernas para a levar para cima). Com o J* foi completamente diferente, foi como se a MAC se tivesse transformado do dia para a noite: o meu marido esteve o tempo todo comigo, foi tudo muito rápido, o processo foi quase igual ao teu, o J* depois de nascer esteve comigo e com o meu homem durante mais de meia hora, a mamar, a conectar, a sentir os nossos cheiros, a dar-nos a sua pequena mão. Foi mágico e humano. E assim é que deveria ser. Abençoado seja quem tenha transformado a MAC. Que haja mais iniciativas assim, nós Mães, os bebés e os Pais precisam e muito.

Z., parabéns pela linda Alice e obrigada por partilhares, tens razão, há demasiados relatos aterradores de partos por aí. Há que alegrar a expectativas das futuras Mães.

A minha irmã, que não tem grande vontade de ter filhos, diz que ao me ver ficou mais confiante e que assim quer ter filhos. Já é uma vitória. :oD

Sandra de Sá disse...

Adorei as tuas palavras...
Revi-me em desejos e perspectivas do que quero. Senti ter mais forças para continuar numa nova etapa que se aproxima e senti-me com mais coragem! Obrigada pelas tuas palavras!***

Bárbara disse...

Comoveste-me mais uma vez;)

eu tive uma parteira como a tua, mas a obstetra não concordou com ela....

Muitas felicidades.

Raquel Devillé disse...

Escreveste uma das descrições de parto que gostei de ler. Até fiquei comovida.

Parabéns, Zélia.

Cláudia Ramos disse...

Hoje já me comovi duas vezes: primeiro com o filho ("agora a nossa família já está completa") e agora com a mãe e filhota. Um abraço forte e mais uma vez Parabéns!! Pela Alice que é linda e pelo trabalho que fazes enquanto doula e mulher :)

purple disse...

Estou arrepiada com esta descrição... :) Só podia ser assim, em harmonia! :) lindas!

betinha disse...

É uma linda história de nascimento. Agora que sei que também irei ter uma menina, fico feliz por ti, por ela e por mim também! Felicidades e parabéns.

betinha disse...

É uma linda história de nascimento. Agora que sei que também irei ter uma menina, fico feliz por ti, por ela e por mim também! Felicidades e parabéns.

dedinho disse...

Obrigada por partilhares a descrição... Até fiquei arrepiada...
Brevemente, mando-te um mail, para pedir uma informação sobre o que já falámos (escrevemos) e que agora parece ter chegado a hora de precisar de um contacto ;))
Bjnh!

Tereclopes disse...

Lindo texto , adorei.
BEIJINHOS GRANDES

Claudia disse...

De facto e muito bom ler boas experiências... fico sempre feliz quando alguém tem uma experiência muito diferente da minha... e muito melhor... Parabéns...

Marta Mourão disse...

Que bom que é quando tudo corre de feição! Muitas felicidades!

cristina salvador disse...

Z,
também tenho uma feliz história em forma de parto para contar... Rápido, indolor, humano e afectuoso. Tive e tenho muita sorte. Que bom tu teres esta história e por partilhares conosco. bj

Sandra disse...

Obrigada Zélia por partilhares a tua história. Acho que vai ajudar muitas mães tal como tantas outras coisas que tens feito!
Beijinho